Categorias

logo
Isca Artificial: Qual usar na sua pescaria?
05 Aug

A pescaria pode ser praticada com dois tipos de iscas: as naturais e as artificiais. As principais diferenças entre elas é que nas iscas artificiais não há cheiro e movimento da isca, sendo necessário que o pescador reproduza o nado da isca e não possa contar com o odor para atrair os peixes.

Saber o tipo de isca ideal para cada peixe, quando se trata de iscas artificiais, é imprescindível na hora da pesca e é isso que queremos responder para você hoje. Primeiramente, é importante conhecer o material que compõe sua isca artificial, que pode ser de metal, plástico ou madeira. Essa informação é importante, pois com isso, é possível imitar as espécies existentes no local.

As iscas artificiais são divididas em três grupos principais, os quais se dividem em diversas opções. São elas: isca de superfície, meia-água e fundo. Os peixes podem atacar a isca artificial por diversos motivos: instinto, proteção, reflexo, irritação, curiosidade ou domínio de território. Seja qual for o motivo, é importante conhecer bem o peixe que você deseja pescar e a isca certa para ele, para evitar que ela seja ignorada pelo peixe, podendo até deixá-lo fugir.

Iscas artificiais de superfície

As iscas de superfície possuem alta flutuabilidade, sendo indicadas a pescadores que gostam da ação acerca da captura, incluindo os ataques a isca. Para utilizá-las, é importante que o pescador saiba trabalhar o molinete ou carretilha, fazendo movimentos que atraiam os animais para a parte superior da água.

Algumas opções de iscas artificiais do tipo de superfície são:

  1. Stick: esta isca artificial fica em uma posição vertical na água, mantendo até ¼ do corpo fora d’água. A stick imita o nado de um peixe ferido, ou seja, presa fácil na natureza, e por isso é necessário que seja trabalhada com pequenos toques de ponta de vara com pausas (imitando um peixe em agonia). É mais indicada para pesca de peixes predadores, mas não devem ser utilizadas se no local da pescaria estiver ventando muito, pois a água agitada impossibilita que a isca tenha o efeito desejado.
  2. Zara: desenvolvida especialmente para produzir a ação de “zarar” (movimento em zigue-zague) na superfície da água, em conjunto com o trabalho ponta de vara, tornando o nado em zigue-zague muito atraente a predadores. Indicada para a pesca de traíra, tucunaré, black bass, saicanga (branca), tabarana, dourado, entre outros, estas iscas podem ser trabalhadas com velocidades alternadas, extraindo zigue-zagues mais amplos e cadenciados. Assim como a stick, não é indicada em dias de fortes ventos, pois acaba perdendo seu efeito.
  3. Girino: essa isca é ideal para pescaria em locais com muita vegetação, pois conta com um sistema anti enrosco. Somada a uma isca soft, fixada no anzol, flutua sobre a vegetação, não tendo problemas com enrosco. Com ela, o pescador pode trabalhar em movimentos contínuos ou com pequenos toques e pausas no recolhimento, sendo indicada para a pesca de traíra, Black Bass, entre outros.
  4. Rato: Assim como a isca artificial girino, também possui sistema anti enrosco. Em conjunto com uma isca soft, fixada ao anzol, permite agilidade em pescarias onde há vegetação muito densa. Por conta do seu peso, a isca artificial Rato proporciona um arremesso mais certeiro, garantindo as capturas. A isca também pode ser trabalhada em movimentos contínuos ou com pequenos toques e pausas no recolhimento, sendo indicada para a pesca de traíra, black Bass, entre outros.
  5. Micro-rato: A isca artificial micro-rato foi criada exclusivamente para pescaria de traíras de pequeno e médio porte. Por possuir um formato cônico, possui sistema anti enrosco e, somada a uma isca soft fixada ao anzol, permite a pescaria em locais com densa vegetação e podendo também ser trabalhada em movimentos contínuos ou com pequenos toques e pausas no recolhimento, assim como a isca artificial girino e o rato.
  6. Barbela: Possui uma barbela na parte inferior da cabeça que, quando trabalhada, a faz nadar, imitando o nado de um peixe.
  7. Popper: Devido ao formato de sua cabeça, imitando uma boca com formas côncavas ou chanfradas, produz ruídos e barulhos, imitando peixes pequenos ou animais se alimentando, despertando o instinto de competição e proteção de território, atraindo predadores como traíra, trairão, tucunaré, matrinxã, dourado, tilápia e xaréu.
  8. Hélice: Sua característica principal é a existência de uma ou duas hélices, presas na parte traseira ou nas duas extremidades da isca, sendo capazes de produzir ruídos e distúrbios na superfície, atraindo preadores.

Iscas artificiais de meia-água

As iscas de meia água chegam a aproximadamente 1,20 m de profundidade, e a grande maioria delas possui barbelas, com o objetivo de imitar o nado dos peixes.

Algumas opções de iscas artificiais de meia-água são:

  1. Bolita: Por conta de seu tamanho, peso e formato, esta isca proporciona um ótimo arremesso, sendo uma isca pensada para pescaria de meia-água. Indicada para pesca de black bass, traíras, tilápias, piraputangas, entre outros.
  2. Hunter: Está isca é bastante versátil, podendo ser trabalhada de diversas formas: recolhimento constante ou com pequenas paradas. Indicada para pescaria de traíra, robalo, black bass, saicanga (branca), joanas, tilápia, tabarana, dourado, tucunaré, entre outros.
  3. Dançarina: Indicada para pescaria de peixes maiores, por ser robusta e com nado atraente. É indicada para pesca de dourado, tucunaré, cachorra, anchova, entre outros.
  4. Fat Hunter: Esta isca é ideal para a captura de peixes predadores. Indicada para pescaria de dourado, tucunaré, cachorra, anchova, traíra, black bass, piraputanga, entre outros.
  5. Deep runner: Indicadas para fisgar os peixes que habitam médias e grandes profundidades (fundos de pedra, troncos caídos, galhos submersos etc.).
  6. Crankbait: São iscas artificiais que possuem o corpo arrendondado. Dependendo do tamanho da barbela, podem trabalhar desde a superfície a grandes profundidades. As cranks são muito utilizadas na pescaria de Black Bass e indicadas também para os Dourados;
  7. Shad: Apresentam o corpo mais arredondado e achatado, gerando uma forte vibração. São iscas que geralmente apresentam uma grande e excelente flutuação;
  8. Minnow: Seu corpo é mais longo e mais fino e também permite uma boa variação de trabalho. Ao dar toques leves, a isca emite barulho mais próximo a superfície e, no momento que o peixe se aproxima, um toque mais longo permite que a isca mergulhe e afunde mais.

Iscas artificiais de fundo

As iscas artificiais de fundo foram desenvolvidas para alcançar os peixes em locais mais profundos, sendo indicadas para exemplares que estão em fundos rochosos, tocas, ou quando não estão muito ativos (comum durante mudanças térmicas).

Algumas opções de iscas artificiais de fundo são:

  1. Jigs: Pode ser utilizada tanto em água doce, quanto em água salgada, para peixes de fundo ou de passagem.
  2. Spinner bait: Modelo de isca mais indicado para locais onde há vegetação, em que outras iscas podem se prender. Além de ser boa para a pesca de traíras atrai também trutas, black bass e dourados.
  3. Colher: Modelo simples e um dos primeiros a serem lançados, tem este nome por apresentar formato côncavo, semelhante ao do talher. Sua cor metalizada reflete a luz e atrai os peixes, mas, para seu uso com mais eficiência, indica-se utilizá-la com um girador, para que a linha não enrole. Algumas versões desta isca possuem um dispositivo anti-enrosco, sendo indicada para uso em meio a vegetação aquática.

São muitos os tipos de isca de pesca, e a escolha pode ficar um pouco confusa caso você ainda não tenha muita experiência. Mas, basta seguir as dicas da Mobay Brasil sobre tipo, profundidade e cor e ter uma boa pescaria.

Quer saber mais? Entre em contato com a Mobay Brasil.